BEM VINDOS

Menu

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Hands Across the Sand- De mãos dadas na areia
















By:Jeff Mull
Texto traduzido pelo google.



No dia 26 de junho, ao longo das praias do sul da Califórnia para a Flórida, ambientalistas e aqueles que se opõem à exploração de petróleo offshore encontravam-se de mãos dadas em um gesto simbólico contra o derramamento de petróleo BP. O movimento foi batizado de "Hands Across the Sand" e foi organizado e patrocinado pela Sierra Club e The Surfrider Foundation, entre outras organizações relacionadas ao meio ambiente.Mais de 860 pessoas diferentes locais à beira-mar participaram do evento. 
Segundo um comunicado de imprensa da Fundação Surfrider, "Hands Across the Sand é um movimento de pessoas de todas as esferas da vida e afiliações políticas. Esse movimento não é sobre política, é sobre a proteção das nossas economias costeiras, oceanos, fauna marinha, e indústria da pesca. " 
Por mais de dois meses, a penas aparentemente interminável de petróleo que vomitam do fundo do mar e no Golfo obrigaram o país a reavaliar os métodos que usamos para aproveitar o nosso combustível. Ainda não há nenhuma bala de resposta de prata para fazer a transição (uma parte saudável da Costa moradores do Golfo ganhar uma vida de perfuração offshore) milhares de americanos fizeram ouvidos através Hands Across the Sand. O movimento pretende ser um protesto pacífico e um ato de solidariedade, não para uma briga. 
De acordo com um iReport , da CNN, o surf mais famoso Hellman ondas grandes Laird Hamilton, foi a mão em Santa Monica mãos através da recolha de Areia. Hamilton, que voltou recentemente de uma visita às áreas afetadas na Costa do Golfo, foi citado como dizendo, "...há uma certa quantidade de desamparo que você sente quando você vê a magnitude do que está acontecendo. "
De acordo com a declaração de missão para trás "Hands Across the Sand "
 Para convencer nossos legisladores Estado, governadores, Congresso e ao presidente Obama para deter a expansão da exploração de petróleo offshore e adotar políticas de fomento de fontes de energia renovável e limpa. Latina precisa legislação que cria incentivos fiscais e subsídios, para incentivar o crescimento das energias limpas e renováveis, indústrias para o futuro da América."
Com os locais acima de 800, mais recolhimento de mão-em oposição, uma clara mensagem foi enviada para o mundo: há maneiras melhores de pesquisa para o combustível.


domingo, 27 de junho de 2010

Prancha 100% ecológica ganha adeptos em praias de todo o mundo



A prancha 100% ecológica já é exportada para outros países/Fotos: Divulgação
Os surfistas que se preocupam com o meio ambiente já tem um opção mais sustentável na hora de cair no mar. Trata-se da e-board, uma prancha feita com uma resina ecológica a base de água e outros materiais menos agressivos ao meio ambiente.
A empresa ainda reverte parte do dinheiro arrecadado para projetos de preservação ambiental e neutraliza todas as emissões de carbono geradas durante o processo de fabricação e logística do produto.
A prancha foi desenvolvida pelo engenheiro de materiais, Daniel Aranha, de apenas 24 anos. Surfista desde pequeno e sensibilizado com a enorme poluição causada pelas fábricas de prancha, Aranha resolveu criar uma resina menos nociva que a tradicional – feita a partir do petróleo.
Após uma série de estudos, testes e protótipos feitos com o auxílio de profissionais em diversas áreas da engenharia, principalmente na área de produto e desenvolvimento, surgiu a resina ecológica feita a base de água.
Graças à tecnologia, os materiais utilizados na fabricação da e-board não dependem mais da extração de petróleo ou qualquer outra matéria-prima de origem mineral. A resina não tem aquele cheiro característico e o restante do material ou é orgânico ou reciclado.
prancha-capa.jpgprancha-02.jpgSão seis modelos de pranchas feitas com resina a base de água, longarina de bambu e tinta orgânica
Além de menos agressiva ao meio ambiente, a resina ecológica é mais resistente e flexível e não amarela tão rapidamente quanto as comuns.
Já o bloco é feito de poliestireno expandido que utiliza água para sua expansão e não solvente. Apenas 2% de sua massa são compostos de poliestireno, os 98% restantes são ar. O resultado é um processo de expansão livre de resíduos e massa 100% reciclável.
A longarina é feita em caixeta ou bambu, ambas com certificado de reflorestamento ambiental FSC e a tinta utilizada na pintura é feita com pigmentação e coloração naturais e orgânicas.
Da Vila Madalena para o mundo
Criada no centro de São Paulo, no bairro Vila Madalena, a e-board já conquistou clientelas em diversas praias e hoje exporta suas pranchas para países como África do Sul, Austrália e Estados Unidos.
A marca Osklen também já vende o produto em suas lojas no Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis e Recife. As pranchas estão disponíveis em seis modelos e custam em média R$1.600,00.

Fonte:Ecoplanet.com

sábado, 26 de junho de 2010

4º Festival de Surf Ecovias confirmado para setembro




Com foco voltado à consciência ecológica, fazendo um alerta contra o aquecimento global, o 4º Earthwave Festival de Surf Ecovias está confirmado para os dias 10 a 12 de setembro, novamente nas ondas do Quebra-Mar, em Santos, palco das outras três edições, com grande sucesso.

Rico de Souza e Picuruta Salazar, dois ícones do surf brasileiro estarão juntos, novamente, à frente do evento e, inclusive, já estiveram reunidos com o prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa.

A grande atração será a tentativa de quebra de recorde do maior número de surfistas numa mesma onda. Em paralelo serão realizadas competições de Longboard e Stand-Up Surfing, modalidade que teve impulso no Brasil justamente neste Festival.

“Teremos o Brasileiro Profissional de Longboard, com R$ 10 mil de premiação, competição de remadas e queremos criar outras atrações aos surfistas, mas o objetivo principal é mesmo a conscientização ecológica”, disse Rico.

O Earthwave é realizado em vários países, como África do Sul e Austrália, e tem como objetivo chamar a atenção do Mundo contra o aquecimento global. E o atrativo é o recorde mundial, que depois de pertencer a Santos, com 100 pessoas surfando simultaneamente a mesma onda, em 2008, devidamente registrado pelo Guiness Book, agora está em poder dos sul-africanos, que ano passado garantiram 210 surfistas.

“O surf é um esporte totalmente integrado com a natureza e fazemos a nossa parte, chamando a atenção para este problema. E temos como patrocinador a única concessionária de estradas do Mundo com o ISO 14.001, por preservar a Mata Atlântica. Será o quarto ano seguido e sempre em Santos, que tem nos acolhido muito bem e com parceria total da Prefeitura e a participação efetiva da comunidade”, ressaltou Rico.
Record

No ano passado, mais de 200 surfistas foram ao mar na praia santista, mas as condições não ajudaram e 70 pessoas conseguiram ficar em pé numa mesma onda, após duas tentativas. “O que mais importou foi a festa, a participação do público dentro e fora do mar. Com certeza, o objetivo foi alcançado”, disse Picuruta Salazar.

Na visita ao prefeito de Santos, Rico e Picuruta agradeceram o apoio total da Prefeitura em todas as edições. “Entreguei o livro Guiness Book 2010, que traz o registro do recorde mundial que estabelecemos em 2008”, informou Rico. “O prefeito sempre teve um envolvimento com o mar e adora velejar, mostrando sintonia com o nosso evento”, destacou.

“Ele admira todos os tipos de esportes e sempre apoiou e promoveu o surf em Santos, movimentando o turismo e trazendo uma grande visibilidade à Cidade”, complementou o organizador do Festival Ecovias, lembrando a criação do Museu do Surf e da sede permanente da Escola Picuruta Salazar no Parque Municipal Roberto Mário Santini, o palco do evento.
Santini

Rico também aproveitou para agradecer o apoio do empresário Roberto Clemente Santini, diretor-presidente da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo na Baixada Santista. “O Roberto sempre colaborou muito com o Earthwave. Ele é surfista e tem um trabalho fantástico com a realização do Circuito A Tribuna de Surf Colegial, realizado há 15 anos com as escolas da região e responsável por revelar grandes talentos e incentivar os estudos entre a nova geração”, elogiou.

O 4º Earthwave Festival de Surf Ecovias tem o patrocínio da Ecovias e os co-patrocínios da Hawaiian Dreams (HD) e Prefeitura Municipal de Santos, com apoios de Guiness Book, Coquetel, Federação Paulista de Surf, Associação Santos de Surf e Abrasp.

Por 
Fábio Maradei
Globo.com

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Na Flórida, praias ainda estão livres do óleo


Vazamento de petróleo do Golfo do México deixou viajantes em dúvida: vale a pena ir até lá agora? Ao menos por enquanto, a resposta é sim.

O desastre ecológico provocado pelo vazamento de petróleo no Golfo do México, por enquanto, não teve consequências no turismo da região. Apesar dos incalculáveis prejuízos ambientais causados pela poluição em alto-mar e de alguma sujeira encontrada nas areias de Pensacola, no noroeste, as praias da Flórida continuam próprias para banho. O Estado tem mais de 500 quilômetros de litoral voltados para as águas atingidas pela mancha de óleo.
O mesmo se pode dizer de algumas ilhas do Caribe, que estão fora da rota da mancha, mas ficam relativamente próximas da região - e podem, portanto, causar dúvidas em quem está com viagem marcada para lá. Não há motivo para cancelar a visita.
Segundo operadoras de viagem brasileiras, não houve ainda nenhum pedido de cancelamento ou adiamento dos pacotes vendidos para o Estado americano (leia mais abaixo). A Flórida é um dos destinos mais procurados por brasileiros nos Estados Unidos - a cobiçada Orlando fica lá (mas não tem praia), além de Tampa e das menos conhecidas Panama City e Venice.
Internet. Em dúvida sobre se vale a pena ir para a Flórida neste momento? A internet é sua melhor aliada. O Visit Florida (visitflorida.com), órgão oficial de turismo do Estado, colocou no ar uma página que pode ser atualizada por qualquer internauta com fotos e vídeos da situação das praias, a Florida Live. Para mandar sua foto é preciso acessar o Facebook (facebook.com/floridasunshine).
O site do Nacional Oceanic and Atmospheric Administration (response.restoration.noaa.gov; procure o link Emergency response) dá detalhes oficiais e atualizados sobre a trajetória da mancha poluente. 

FONTE: ESTADÃO.COM.BR

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Site oficial Jack Johnson - To the sea

Site Oficial falando sobre seu novo disco TO THE SEA,Shows,fotos e muito mais...como sempre as musicas estão maravilhosas.
Vale a pena conferir!!!


http://jackjohnsonmusic.com/home

terça-feira, 22 de junho de 2010

Jason Mraz

Quem é ele:




Informação geral


Nome completo:Jason Thomas Mraz
Data de nascimento:23 de Junho de 1977 (32 anos)
Origem:Mechanicsville, Virginia
País:Estados Unidos
Gêneros:Pop
Rock
Acústica
Surf pop
Pop rock
Período em atividade:1999 — presente
Gravadora(s):Atlantic (2005-presente)
Página oficial: www.jasonmraz.com

Sites de surf... Fique por dentro







http://www.bodysurfing.com.br/

http://www.deolhonomar.com.br/site/

http://www.freesurfer.com.br/

http://www.surfpoint.com.br/

Ai galera...achei muito legal os sites então estou recomendando aqui no meu blog Valeuu?